Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glamour da Palavra

Um blog que tem de tudo um pouco. «EU POSSO RESISTIR A TUDO EXCETO À TENTAÇÃO»

Um blog que tem de tudo um pouco. «EU POSSO RESISTIR A TUDO EXCETO À TENTAÇÃO»

"Somos Portugal" em Nisa

Nisa acolheu no passado domingo de Páscoa o programa “Somos Portugal” da TVI. Na realidade este tipo de programas são pagos pelas autarquias para irem a determinadas festas, tal como aconteceu na Festa da Páscoa em Nisa.

DSC_0072.JPG
A ida do programa da estação de Queluz de Baixo à vila de Nisa gerou uma grande polémica. Diversos comentários postados nas redes sociais atacaram a senhora presidente da Câmara Municipal de Nisa, Idalina Trindade. Era possível ler em muitos dos comentários que para este tipo de coisas já havia dinheiro. Na verdade esses programas não são nada baratos, mas será que as pessoas pensaram nos benefícios do programa? A longo prazo a despesa será compensada. Através deste programa deu-se a conhecer todo o concelho de Nisa tanto a nível arquitetónico, paisagístico, gastronómico, patrimonial... Outra das críticas feitas à autarca era que esta já está a fazer campanha eleitoral, se está não tenho conhecimento, pois a senhora ainda não disse que se iria candidatar novamente. O que é certo que esta presidente já vez o que muitos não fizeram, como virão outros fazer o que esta não fez.

DSC_0131.JPG

 
Após a transmissão do programa, surgem mais críticas. Desta vez as críticas recaíram sobre os produtos divulgados. Durante as entrevistas de divulgação dos produtos locais e regionais foram em grande parte mencionados serem produtos de Nisa. E na verdade são! Cada freguesia do concelho faz parte de Nisa. Não vejo onde está o mal em disserem que os produtos são de Nisa. O produto de uma freguesia pode ser a cara do concelho. O que interessa é que todos os produtos, mal ou bem, foram divulgados.


Desta vez aplaudo de pé esta iniciativa, que poderá trazer grandes benefícios para todo o concelho de Nisa. Parabéns!


Fábio Belo

Romaria de Nossa Senhora da Redonda - Alpalhão

A romaria da Senhora da Redonda em Alpalhão realiza-se todos os anos, tendo lugar na segunda e terça-feira a seguir ao domingo de Páscoa. A capela da Senhora da Redonda fica a três quilómetros da notável vila de Alpalhão.

DSC_0004.JPG
A imagem da Senhora da Redonda é uma escultura muito antiga e valiosa. As cores da imagem caraterizam-se pela cor azul, verde, laranja e dourado. No dia da romaria são colocados inúmeros colares de ouro na imagem, o que lhe dá ainda mais valor. É colocada ainda a coroa de ouro tanto na Senhora como no Menino que está ao colo da Senhora da Redonda. Atualmente a imagem conta com mais de 50 mantos.

DSC_0007.JPG
Há quem diga que a Senhora da Redonda apareceu em sonhos a um homem de Amieira do Tejo. Porém neste sonho foi dito ao homem, que junto à ribeira do Sor encontraria a imagem de Nossa Senhora. O homem movido pela fé em Deus deslocou-se ao local com várias pessoas onde veio a encontrar a imagem e onde lhe mandou construir a capela.

DSC_0144.JPG
Para além da festa religiosa composta por uma eucaristia e procissão com imagem da Senhora da Redonda, estes dois dias de romaria, são marcados também pelo convívio entre os alpalhoeiros. Neste convívio está presente a boa gastronomia como: as costeletas de borrego, as empadas, as queijadas, o bolo de festa, o queijo, entre outros produtos gastronómicos.

DSC_0090.JPG
O hino de Nossa Senhora da Redonda e também o hino da vila de Alpalhão foi composto pelo Cónego Francisco Sequeira.

 


Fábio Belo

Procissão dos Passos - Crato, 2016

A Procissão dos Passos no Crato marca o inicio da Semana Santa, que é vivida com grande intensidade pelo povo do Crato.

 

Nicolau Breyner, grande homem!

 

Uma imagem vale mais do que mil palavras!

Nicolau Breyner um grande ícone português.

Nunca serás esquecido...

Fábio Belo

 

 

Procissão dos Passos - Alpalhão

DSC_0033 (2).JPG

A procissão dos passos decorre no fim-de-semana 15 dias antes da Páscoa. É uma procissão marcada pela devoção e que traz muitos devotos a Alpalhão.

No sábado, véspera da procissão principal, pelas 21 horas saí da Igreja Matriz em direção ao Calvário, a cruz de prata, as lanternas bem como os homens que pegam no andor do Senhor dos Passos. Quando esta mini procissão chega ao Calvário, fecha-se a cortina roxa que tapa a imagem do Senhor dos Passos, e sai a procissão já com o andor em direção à Igreja Matriz. Após terminar a procissão noturna, o Senhor dos Passos é destapado e enfeita-se o andor, bem como o da Senhora das Dores e S. João Evangelista.

No domingo, a procissão saí da Igreja do Espírito Santo em direção à Igreja Matriz. Esta procissão é composta pela cruz de prata, as insígnias, os anjinhos, a Verónica, a Maria Madalena e a banda. A segunda procissão saí da Igreja Matriz já com a imagem do Senhor dos Passos. A procissão segue pela Rua do Castelo, onde se encontra o primeiro passo, depois segue pela Rua Direita até chegar ao Largo do Terreiro onde se situa o segundo passo, que retrata o encontro de Jesus com sua mãe, Maria. Quando a procissão chega a este passo, é feito o encontro da imagem do Senhor dos Passos com as imagens de Nossa Senhora das Dores e São João Evangelista.  Após o Largo do Terreiro a procissão segue pela Rua de São Pedro onde se encontra o terceiro e quarto passo, depois segue pela Rua da Cruz onde está o quinto passo e por fim chega ao Calvário.

Após a procissão chegar ao Calvário, as imagens da Senhora das Dores e S. João Evangelista colocam luto, bem como a Verónica e a Maria Madalena. Logo de seguida saí outra procissão do Calvário em direção à Igreja Matriz. Procissão, esta conotada pelo Enterro do Senhor, onde saí o andor com Senhor Morto e resto da procissão matem-se como a anterior.

A procissão dos passos é sem dúvida o maior cortejo religioso que se realiza em Alpalhão, composta por mais de 50 pessoas que levam os andores, insígnias, pálio, guião e respetivos pertences. Na procissão de domingo há sempre uma rapariga que se veste de Verónica e outra de Maria Madalena, e um rapaz ou uma rapariga que vai de Senhor dos Passos. As meninas vestem-se de anjinhos e levam na procissão a naveta, o turíbulo, as pétalas das flores, a coroa de espinhos, a toalha do Senhor, o resplendor, o cálice, a cruz pequena de prata e a cruz de madeira com todos martírios. Os meninos levam um capa roxa e os principais martírios, a escada, o martelo, os dados, a lança, o chicote e placa que foi posta na cruz de Cristo. Ainda há crianças e jovens que se vestem de vários santos como: Senhora das Dores e S. João Evangelista.

É ainda de salientar que na procissão de domingo saí a cruz de prata, o pálio, dois andores, dez insígnias, a cruz de madeira que na última procissão traz sobre ela a toalha do Senhor com sangue que simboliza a morte de Cristo.
Antigamente como não tocavam os sinos saía a matrácula a avisar que era hora de sair a Procissão dos Passos. Atualmente neste dia os passos são representados com figuras humanas.


Fábio Belo

 

DSC_0041.JPG

 

(Vídeo da Procissão dos Passos, 2016)

DSC_0035.JPG

 

 

Feira dos Enchidos - Alpalhão

A primeira edição da Feira dos Enchidos decorreu a 29 de março de 1996. Nesta primeira edição, que decorreu no antigo matadouro de Alpalhão, o evento consistiu na matança do porco pela manhã, na hora de almoço foi servido o Arroz de Cachola, que foi preparado no decorrer da manhã. Após o almoço, deu-se por encerrado o evento. Este evento surge quando o senhor António Serafim estava à frente do executivo da Junta de Freguesia de Alpalhão.


A feira decorreu no matadouro até ao ano de 2000. A partir desse ano a feira passou para o Largo da Devesa, já com o apoio da Câmara Municipal de Nisa. As primeiras edições da feira eram organizadas pela Junta de Freguesia de Alpalhão e, por ser um evento pequeno, não tinha qualquer tipo de apoio ou patrocínio. Até 2000 realizava-se após a Páscoa, com a mudança de espaço e devido à grande adesão, passou a ter lugar no fim-de-semana quinze dias antes da Páscoa. Fim-de-semana que coincide com a majestosa Procissão dos Passos. A inauguração do Jardim da Devesa no ano de 2004 marcou a história da Feira dos Enchidos de Alpalhão, pois neste ano a feira teve lugar em dois dias, sexta e sábado.


A Feira dos Enchidos consiste na divulgação de produtos regionais e locais, de modo a trazer grandes benefícios para a economia local, uma vez que todas as salsicharias locais e boleiras têm a oportunidade de apresentar os seus produtos, bem como de vende-los. Nesta feira pode encontrar os enchidos de Alpalhão, as tradicionais “Mijoninhas”, o bolo de festa, as queijadas, as empadas, entre outros produtos. Outro grande foco da feira é o tradicional Arroz de Cachola Alpalhoeiro servido ao almoço bem como a feijoada alentejana servida ao jantar.
Esta feira trás novos visitantes à notável vila de Alpalhão, o que contribui para o seu desenvolvimento, bem como a apreciação dos seus produtos. A Feira dos Enchidos está a crescer de ano para ano ganhando assim grandes proporções.


Fábio Belo

DSC_0522.JPG